EPIC5: A minha bicicleta não chegou connosco

À chegada ao Havai, para participar no EPIC5, foi um misto de alegria e alguma ansiedade.
Alegria por finalmente estar a pisar a “terra mãe” do triatlo longo e ansiedade por sentir que o início da aventura estava cada vez mais perto.

Esta natural ansiedade agravou-se pela confirmação de algo que já desconfiávamos desde que fizemos escala em Miami… a minha bicicleta para a prova não chegou connosco!
Por várias vezes voltámos ao aeroporto durante os próximos dois dias, sempre na expectativa de que um vôo vindo de Los Angeles, ou de Phoenix (como nos informaram mais tarde), trouxesse a bicicleta!

Mas nada… e as horas, os dias, iam passando.

No dia programado para apresentação da bicicleta para verificações técnicas pela organização, eu não tinha nada para apresentar!

A Direcção de prova começou a ficar preocupada. Os outros atletas começaram a mostrar sinais de ansiedade também. E a minha equipa estava já claramente perturbada com a situação.
Coube-me a mim manter a calma e transmitir isso ao resto do grupo.

Mantendo-me o mais indiferente possível à situação, expliquei que se não aparecesse a minha bicicleta, eu iria fazer a prova  com uma outra qualquer bicicleta. Pelo menos no primeiro dia! Fosse ela alugada, emprestada ou comprada para o efeito.

Estávamos na véspera da partida (já tarde) e eu ainda sem bicicleta … mas de uma coisa eu tinha a certeza, iríamos partir para a prova na manhã seguinte “no matter what”.

Mas antes de optar por qualquer outra opção, decidimos ainda ir uma última vez ao aeroporto verificar se no vôo que chegava de Los Angeles viria a minha bicicleta.
E a alegria foi grande quando a funcionária da American Airlines no aeroporto (que já nos conhecia) nos viu e acenou sorridente, gritando: “Your bike is here!” (“A sua bicicleta chegou!”).

José Massuça bicicleta chegou

Extraordinário, que alívio. Ultrapassámos a primeira dificuldade deste EPIC5.

Agora era necessário levar o saco para o apartamento, montar a bicicleta, ver se todos os componentes estavam em boas condições, e se o funcionamento mecânico não estava muito desafinado. E estava tudo bem!

Bicicleta José Massuça

Fui então a pedalar do nosso apartamento até ao apartamento da Direcção de Prova. Pedi-lhes que me fizessem as verificações técnicas ali mesmo, para evitar ter que ir ainda mais cedo para o local de início de prova na madrugada seguinte.

As verificações foram feitas e a bike passou com distinção em tudo, estávamos na corrida.

José Massuça

Partilha

Um comentário

Os comentários estão fechados